O que antes só podia ser visto em filmes de ficção científica, hoje é realidade em nosso dia-a-dia. Recursos impensáveis, como um carro sem motorista, já pode ser visto circulando, desde agosto deste ano, em um parque industrial do Brooklin, em Nova York. Os 11 veículos autônomos estão em fase de teste, em uma região com cerca de 10 mil trabalhadores. E não é só isso, já é possível adquirir carros do futuro capazes de identificar os padrões de comportamento e os interesses dos donos. Tudo isso graças à Inteligência Artificial (A.I), inteligência similar ao raciocínio humano, desenvolvida por meio de mecanismos ou de softwares. O que isso significa? Que os computadores estão “pensando” exatamente como nós, humanos.

 

Em um passado não muito distante, cerca de 10 anos atrás e há seis anos no Brasil, a UBER – empresa multinacional americana, desenvolveu um aplicativo de transporte que permite a busca por motoristas baseada na localização, oferecendo um serviço semelhante (e melhor) ao tradicional táxi. O burburinho e os protestos dos taxistas só aumentou o interesse das pessoas por esse serviço. Desde que foi fundada, em 2010, a Uber realizou no mundo mais de 10 bilhões de viagens, fechando 2018 com 91 milhões de usuários nas 700 cidades em que opera.

 

Essa imersão no futuro da mobilidade foi proposta pela palestrante futurista Bea Carvalho, durante o evento “O futuro é agora. Impulsione o seu negócio’’, promovido pela Fecomércio, no dia 12 de novembro, em Belo Horizonte. 

 

Sob a temática ‘’Futurar para Faturar’’, para Bea, quando viajamos para o futuro, conseguimos fazer as respostas sobre o presente. Ela cita o filme Her (2014), de Spike Jonze, para mostrar que as oportunidades de negócio vão acontecer a partir do reconhecimento de que os carros autônomos vão reconfigurar as cidades. “Com um trânsito mais inteligente, teremos mais espaços nas ruas, mais praças, mais pessoas caminhando, menos vias, calçadas maiores e os estacionamentos vão deixar de existir’’, garante. Em suas palavras, é preciso pensar em Infra-estrutura 3.0 nas grandes cidades. 

 

Mobilidade futurista ‘’só que não’’ (sqn)

 

Em terras mineiras, mais precisamente em Contagem, surgiu em 2018 a possibilidade de desenvolver uma tecnologia para criação de um trem dentro de uma cápsula a vácuo, que conseguiria atingir uma velocidade de cerca de 1.000 km/hora. Conhecido como  Hyperloop – transporte futurista. A ideia original é do empresário Elon Musk, dono da Tesla e da SpaceX, que liberou o conceito para ser explorado por outras empresas (código aberto) e o projeto audacioso em Minas partiu de Bibop Gresta, presidente da HyperloopTT, empresário que embarcou na ideia futurista de Musk. O recurso para o projeto em Contagem, avaliado em R$ 13 milhões, não veio. 

 

Falta de recursos para desenvolver projetos de mobilidade é realidade em Minas Gerais. Entra governo, sai governo, as promessas ficam no papel, mas servem de mote para campanhas eleitorais. Para piorar, o país amarga uma crise financeira que se arrasta desde 2014. Pensar o futuro sem perspectiva dele, coloca por terra todo esforço de Bea Carvalho de nos provocar a pensar em negócios rentáveis até pelo menos 2030. Sem ‘’mimimi’’ como ela mesma rotulou os adultos de hoje, caminhamos mais lentos do que Bibop Gresta possa imaginar em termos de mobilidade futurista. 

 

A população de Belo Horizonte se locomove em um metrô adaptado da década de 80, em uma linha férrea construída no século IX. O projeto de expansão para 60 km está no papel desde 1981 e, desde então, são apenas 28 km e uma única linha. Em BH, o metrô do presente atinge velocidade de 80 km/h e pessoas viajam em pé e sem ar condicionado. Só temos uma ideia de metrô subterrâneo se viajarmos para São Paulo, por exemplo. Viajar de trem bala, só indo ali na Europa ou Ásia. O chefão da SpaceX quer que nos locomovemos através de cápsulas dentro de tubos metálicos, mas nem ele e nem Bibop Gresta sabem que em Minas, a mobilidade ainda é na velocidade de uma carroça. 

 

Como futurar para faturar?

 

https://jornaldocarro.estadao.com.br/carros/ficcao-cientifica-em-breve-sera-realidade-nos-carros/

 

https://www.itforum365.com.br/11-formas-como-a-inteligencia-artificial-ja-faz-parte-do-cotidiano/

 

https://jornaldocarro.estadao.com.br/carros/ficcao-cientifica-em-breve-sera-realidade-nos-carros/

 

https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2019/08/07/o-futuro-chegou-carros-autonomos-iniciam-operacao-em-nova-york.htm

 

https://exame.abril.com.br/negocios/os-numeros-secretos-da-uber-us-1-bi-no-brasil-us-11-bi-no-mundo/

 

https://www.otempo.com.br/economia/empresa-hyperlooptt-desiste-de-montar-centro-de-pesquisas-em-contagem-1.2173460

(function(w, d, s, u) { w.RocketChat = function(c) { w.RocketChat._.push(c) }; w.RocketChat._ = []; w.RocketChat.url = u; var h = d.getElementsByTagName(s)[0], j = d.createElement(s); j.async = true; j.src = urlchatScript; h.parentNode.insertBefore(j, h); })(window, document, 'script', urlLiveChat); RocketChat(function() { this.onChatStarted(function() { // do whatever you want console.log('chat started'); console.log(this.getDepartament); }); }); RocketChat(function() { this.setTheme({ title: 'Chat Casanova Digital', offlineTitle: 'Deixe uma menssagem', offlineColor: '#817979', color: '#1edb38', offlineMessage: 'Não estamos online, agora, você pode deixar-nos uma mensagem', offlineSuccessMessage: '', offlineUnavailableMessage: '', allowSwitchingDepartments: false, transcriptMessage: 'Gostaria de enviar uma cópia desta conversa por e-mail ?', conversationFinishedMessage: 'Conversation finished' }); }); //$('.rocketchat-widget').css({'display': 'none'}); RocketChat(function() { this.setDepartment('marketing'); console.log(this.getDepartament); }); setTimeout(function(){ $('.rocketchat-widget').css({'left': 30 }); },5000); try { jQuery(function($){ $('#footer-info').html(' Casanova Digital | Agência de marketing digital e software'); }); }catch(e){ }